Então o seu site está com problemas?

Então o seu site está com problemas?

Fale-me mais sobre isso… Se o seu site está com problemas, não se apavore, isso é muito normal nos dias de hoje.

Os problemas são os mais diversos, podem ser internos, oriundos da empresa, o projeto perdeu a “paternidade” dentro de casa, ninguém tem tempo para o site, a pessoa que cuidava foi embora, são diversas justificativas.

Ou então o fornecedor nos entregou a batata quente e sumiu do mapa. Não fez o que se propôs a fazer, não entregou no prazo, achamos que era outra coisa, e ficou assim desse jeito.

Ainda, o site é constantemente invadido, hackeado, o fornecedor de hospedagem diz que a culpa é nossa, a gente acha que a culpa é do fornecedor e quem “pilota” o site aqui na empresa acha que está tudo errado.

E todas as alternativas estão corretas. Fazer um site não é apenas contratar um freelancer ou uma empresa para desenvolver algo que achamos que é o que deve ser feito.

Dificilmente uma empresa que não é do ramo sabe exatamente quais as suas reais demandas, melhores práticas do mercado e o que a concorrência está fazendo de bom que mereça ser homenageado (copiado), simplesmente porque as coisas mudam e evoluem o tempo todo.

Veja, hospedagem do site é uma coisa muito importante no processo. Não adianta faturar alguns milhares de reais e querer hospedar o site pagando R$ 19,99 ao mês. Além disso tem a performance, tem a segurança, tem o certificado SSL, tem o tempo de uptime, tudo isso influencia no resultado da busca.

E ser encontrado é o que importa. Falando nisso não é apenas colocar o site no ar, tem que produzir conteúdo, relevante, recorrente e manter a frequência. Fazer ele ser indexado, cuidar das palavras-chave, do nome das imagens, dos links relacionados e tudo mais.

Não adianta querer compartilhar nas redes sociais e impulsionar suas publicações, no final o que interessa é ser encontrado por quem você ainda não foi descoberto, é ser relevante naquilo que você faz de melhor.

O resultado da busca e clique no mecanismo de busca no final é o que interessa, não ser acessado via rede social por alguém que lhe conhece e já comprou seus produtos e serviços.

Ainda, manter a coisa funcionando, backup, envio de e-mails (do site mesmo) através de formulários e landing pages, saber o tempo que o site fica fora do ar, ter certeza que no backup tem algo a ser recuperado em caso de desastre, e ainda, poder migrar rapidamente de infra estrutura se for o caso.

É por isso que as empresas precisam pensar no todo, fazer o site e colocar no ar é só a primeira parte do quebra-cabeças. E colocar no ar e esquecer dele é o que mais acontece.

E para você refletir a respeito, pense em contratar alguém que assuma o problema, e lhe deixe cuidar do seu próprio negócio, com certeza já tem trabalho suficiente para você certo?

Se quiser evoluir neste assunto entre em contato!